As próteses dentárias são essenciais para substituir e exercer funções que antes eram dos dentes naturais; mastigação, fala, respiração e até para a estética do rosto.

Prótese parcial fixa

A indicação para a prótese parcial fixa dependerá da quantidade de dentes que a pessoa perdeu, pois é preciso ter pelo menos dois dentes naturais que podem ser usados como suporte – um posterior e um anterior ao espaço protético.
Podendo substituir de um a seis dentes naturais, a parcial fixa é feita de metal com porcelana.
Segundo o especialista, o mais comum é que elas sejam feitas de metal com porcelana e que substituam um, dois ou até seis dentes naturais. Sua desvantagem é o desgaste necessário para a colocação da prótese, o que pode afetar a estrutura dos dentes íntegros.

Implante osseointegrado

Indicado para pessoas que perderam de um a todos os dentes da boca, o implante osseointegrado são os que mais se assemelham aos dentes naturais do paciente. O implante funciona como uma raiz artificial, e sobre ele é confeccionado uma coroa protética (dente), que vai devolver os padrões estéticos, fonéticos e mastigatórios para o paciente.
O implante é dividido em duas fases: cirúrgica, quando os implantes (parafusos de titânio) são presos na mandíbula do paciente anestesiado; e quando as próteses confeccionadas com resina acrílica em laboratório são cimentadas sobre a estrutura de metal no consultório do dentista.
A contraindicação para esse caso fica para pessoas com alguma doença sistêmica; diabetes que depende de uma avaliação mais rigorosa e osteoporose são exemplos que inviabiliza a colocação deste implante.

Menu
WhatsApp chat