O que é ortodontia?

A ortodontia é a especialidade odontológica responsável por corrigir a posição dos dentes e maxilares.

Quais os problemas que a má posição dos dentes podem causar?

Dentes tortos e/ou que não se encaixam corretamente podem comprometer a saúde bucal. Além de dificultar a escovação, os músculos faciais podem sofrer estresse de mastigação, disfunção da articulação temporomandibular  (síndrome de DTM), resultando em dores de cabeça, pescoço e ombros.

Como saber se preciso de um ortodontista?

 

Quem vai determinar o melhor tratamento ortodôntico é o seu dentista. Além do histórico médico e dentário completo, é necessário ter os moldes de gesso dos dentes, fotografia e radiografia especiais para identificar qual o problema.

  • Sobremordida: quando há um trespasse vertical acima do normal dos dentes superiores anteriores (“dentes da frente e de cima”) em relação aos dentes inferiores, ficando visível na região de cima da arcada. A sobremordida altera a mordida e o perfil da pessoa que apresenta este problema.
  • Mordida cruzada anterior: quando não há o encaixe da arcada dentária superior (maxila) com a inferior (mandíbula), ocasionando a projeção do queixo da pessoa para frente.
  • Mordida cruzada: não alinhamento dos dentes superiores e inferiores ao efetuar a mordida.
  • Mordida aberta: quando os dentes não se encostam ao efetuar a mordida.
  • Desvio de linha mediana: não alinhamento do sorriso com a linha mediana traçada pelo dentista. O sorriso fica torto esteticamente, podendo ser mais perceptível em fotos.
  • Diastema: espaço que se forma entre os dentes
  • Apinhamento: podendo acontecer com maior frequência nos dentes ânteros inferiores, o apinhamento é uma alteração no posicionamento destes dentes ocasionando pequenos giros laterais.

Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz?

Aparelhos fixos e móveis são utilizados para ajudar a movimentar gradualmente os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular.
Ao serem colocados, eles exercem uma pequena pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do caso determina qual o procedimento mais adequado e eficaz.

Tipos de aparelhos

  • Aparelho fixo: é o mais comum dos aparelhos. Possui bandas, fios e/ou braquetes que são fixados em volta dos dentes. O reajuste é mensal e o resultado ocorre no prazo de alguns meses ou até anos.
  • Aparelho fixo especial: fixado por bandas, o aparelho fixo especial é utilizado para controlar o hábito de chupar o dedo ou língua “presa”.
  • Mantenedor de espaço fixo: caso o dente de leite caia precocemente, este aparelho é utilizado como protetor de espaço para mantê-lo aberto até o nascimento do dente permanente.

Aparelhos móveis incluem

  • Niveladores: invisível e podendo ser removido para a alimentação e escovação, os niveladores são alternativas para os aparelhos convencionais para adultos.
  • Mantenedores de espaço móveis: feitos com base acrílica, os mantenedores se encaixam sobre a mandíbula e possuem braços de plástico ou arame entre os dentes predeterminados para mantê-los separados.
  • Aparelhos reposicionadores de mandíbula: utilizados em disfunções da articulação temporomandibular (ATM), este aparelho “treina” a mandíbula ou maxilar para fechar corretamente.
  • Amortecedores de lábios e bochechas: mantém os lábios e bochechas afastadas da arcada dentária quando há pressão dos músculos dessa área sob os dentes.
  • Expansor palatino: utilizado para alargar a área da palatina, aplicando uma pressão externa no céu da boca.
  • Contentores móveis: posicionado no céu da boca para evitar que os dentes voltem à posição anterior.
  • Aparelho extrabucal: utilizado para retardar o crescimento da maxila e manter os dentes posteriores no seu local, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.
Menu
WhatsApp chat